terça-feira, 18 de novembro de 2014

Reconstruindo o Meio Ambiente com Amor


A busca de um desenvolvimento sustentável, que tenha como objetivo central a qualidade de vida, sem no entanto deixar de utilizar tecnologias modernas, é um desafio para os países em desenvolvimento, como o Brasil, que precisam produzir para aumentar e garantir o crescimento econômico, reduzir a pobreza e manter seu ambiente da melhor forma possível.


PREA - Programa de Educação Ambiental da Embrapa Florestas
q
As florestas naturais, embora renováveis, têm uma capacidade limitada de satisfação das necessidades humanas e, se superexploradas, podem ser levadas a um ponto de degradação irreversível. Em várias regiões essa situação já ocorreu, ocasionando inclusive bolsões de desertificação, em outras, a situação é gravíssima.
“Há hoje uma flagrante disparidade entre o desenvolvimento do poder intelectual, o conhecimento científico e a qualidade tecnológica, por um lado, e a sabedoria, a espiritualidade e a ética, por outro” (Rebouças, 1989). Isto mostra que a sociedade vem ignorando, até mesmo menosprezando, as relações ecológicas diárias entre ela e a natureza, dando margem ao surgimento de uma catástrofe ambiental que poderá explodir num futuro não muito distante
A busca de um desenvolvimento sustentável, que tenha como objetivo central a qualidade de vida, sem no entanto deixar de utilizar tecnologias modernas, é um desafio para os países em desenvolvimento, como o Brasil, que precisam produzir para aumentar e garantir o crescimento econômico, reduzir a pobreza e manter seu ambiente da melhor forma possível.
Para o desenvolvimento desse novo paradigma há necessidade de que a educação e a cidadania sejam os principais caminhos a serem seguidos pela sociedade. Refletir e agir holisticamente passam a ser pontos cruciais para a nossa espécie. Para tanto, o ensino, a ciência e a tecnologia não podem se desvincular dos aspectos ambientais e sociais. É preciso resgatar o ser humano como parte essencial da natureza. A cada dia, crianças em idades cada vez mais tenras se desvinculamda natureza em função da urbanização acelerada devido às transformações na forma de produção e dos mecanismos de atração das grandes cidades e metrópoles.
As ferramentas e estratégias de educação ambiental passam a ter extrema importância para o resgate deste vínculo.
Geralmente, o educador ambiental defende isoladamente o elemento natural com o qual trabalha (água, solo, ar, flora, fauna e ser humano), esquecendo-se não só de inserir-se como parte integrante do meio ambiente, como também de fazer as interrelações entre estes elementos.
Muitas vezes, a educação ambiental é realizada de maneira muito formal, fazendo da cabeça das pessoas um mero depósito de informações, acreditando que o simples contato com a nova informação desencadeia um processo interno de assimilação, processamento e aplicação prática de idéias, deixando de inserir o ser humano no ambiente.
O conhecimento tem sido repassado sem considerar a essência humana. Encarar o ser humano, unicamente, como predador, culpando-o pela degradação ambiental, não abre portas para uma mudança de comportamento. É preciso alcançá-lo em sua plenitude, transformando-o em um reconstrutor da natureza, transmitindo e relacionando os conteúdos ambientais às necessidades e aspirações dos seres humanos.
As informações técnicas aplicadas de forma isolada, desconectadas da realidade, desestimulam as pessoas a aplicarem o que aprenderam, o que não ocorre quando essas informações são associadas às suas emoções.
Até agora estivemos andando na contramão, procurando salvar a natureza através do homem, esquecendo que só conseguiremos isto resgatando o homem através da natureza. O ensino que causa impacto é o que passa de um coração para o outro. Isto engloba a totalidade do ser, intelecto, emoção e vontade.
Desta forma, é preciso atuar na educação ambiental com praticidade, simplicidade, naturalidade e, sobretudo, com amor.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

As 12 tendências tecnológicas da educação brasileira até 2017.

Estudo divulgado nesta semana pelo Horizon Report Brasil aponta potenciais ferramentas tecnológicas a serem usadas na educação no Brasil nos próximos 5 anos

Porvir |
Laboratórios móveis, redes, inteligências colaborativas, geolocalização, aprendizado baseado em jogos, conteúdo aberto. Achou essa lista futurista demais para ser usado em escala nas escolas do Brasil, públicas e privadas? Talvez ela não seja tão inalcançável assim. O sistema Firjan reuniu um grupo de 30 especialistas para analisar o estado do uso da tecnologia em práticas no país e fez prognósticos sobre quais ferramentas já estarão sendo usadas em escala em um horizonte de até cinco anos.
O estudo “As Perspectivas Tecnológicas para o Ensino Fundamental e Médio Brasileiro de 2012 a 2017: Uma Análise Regional do NMC Report”, divulgado nesta semana, identifica 12 tecnologias emergentes que têm potencial para impactar o ensino, além das dez principais tendências e os dez maiores desafios da educação brasileira.
Entre as 12 tecnologias apresentadas, quatro foram apontadas entre as que devem começar a fazer parte massivamente das salas de aula em menos de um ano: ambientes colaborativos, aprendizagem baseada em jogos e os dispositivos móveis representados por celulares e tablets; outras quatro estavam entre as que devem começar a ter seu uso mais frequente em dois ou três anos: redes, geolocalização, aplicativos móveis e conteúdo aberto; e mais quatro foram podem ser esperadas em um período de quatro ou cinco anos: inteligência coletiva, laboratórios móveis, ambiente pessoal de aprendizagem e aplicações semânticas. (Alguns desses termos podem ainda não estar claros, por isso o Porvir preparou um infográfico explicativo, confira abaixo).
Feito pela primeira vez no Brasil, o estudo insere um capítulo regional ao já tradicional Horizon Report, que anualmente faz previsões sobre o uso da tecnologia no universo educacional. O panorama global permitiu também comparações entre o contexto brasileiro e o internacional. Bruno Gomes, assessor de tecnologias educacionais do Sistema Firjan e participante tanto da pesquisa global quanto da nacional, ressalta alguns pontos em que nós nos distanciamos muito do mundo. “No Brasil, a gente já consegue ver o hardware, as coisas físicas em sala de aula, como o celular e o tablet. Mas falta a internet, então tudo que é feito na nuvem ou depende de uma rede boa e estabilizada vem depois”, diz.
Por isso, enquanto nos países ibero-americanos e na pesquisa global a computação em nuvem é uma realidade esperada em um ano, os especialistas brasileiros nem sequer apostaram nela para um panorama de até cinco anos. “Outra curiosidade é que, conteúdo livre, que já está acontecendo no mundo, ainda não vai acontecer no Brasil neste ano. O brasileiro ainda é apegado à autoria”, acrescenta Gomes.
Apesar das diferenças, alguns pontos são comuns em todas as partes do mundo, principalmente no que diz respeito aos desafios encontrados. “Formação de professores é um problema para o mundo”, ressalta Gomes. No relatório divulgado durante o evento Conecta 2012, que terminou hoje, os especialistas destacam também outra relevante coincidência entre o que esperam ver no Brasil e o que está posto no mundo. “Os 30 membros do conselho deste projeto concordaram com o conselho global em relação à tendência mais importante. Eles perceberam as portas se abrindo nas escolas de educação básica no Brasil para modelos de aprendizado híbrido e colaborativo”, afirmam os autores do relatório.
TECNOLOGIAS DE SALA DE AULA – ESPECIALISTAS INDICAM 12 FERRAMENTAS QUE ESTARÃO NAS ESCOLAS ATÉ 2017
1 ano ou menos – Polarização de dispositivos
Ambientes colaborativos
Espaços online que visam facilitar a colaboração e o trabalho em grupos. Nesse tipo de ambiente, a interação acontece independente de onde os alunos estejam
Aprendizagem baseada em jogos
Interação de jogos nas experiências educacionais; os benefícios têm se comprovado em desenvolvimento cognitivo, colaboração, solução de problemas e pensamento crítico
Celulares
Especialmente quando se fala em smartphones, são o ponto de convergência de muitas tecnologias; permitem acesso a um volume muito grande de informações na palma da mão
Tablets
Como os celulares, têm a facilidade da mobilidade e possibilitam aulas dentro e fora da escola. Dispositivos aumentam o leque de recursos pedagógicos
2 a 3 anos – Uso dos softwares
Redes
Investimento em banda larga para grandes eventos esportivos e o maior número de smartphones facilitam acesso rápido, barato e fácil a todos os tipos de informação
Geolocalização
Ferramentas recentes permitem a determinação da localização exata de objetos físicos, além da combinação com dados sobre outros eventos, objetos ou pessoas
Aplicativos móveis
Nova indústria de desenvolvimento de softwares cria um universo de novas possibilidades educacionais, com compartilhamento de descobertas em tempo real
Conteúdo aberto
Conteúdo disponibilizado gratuitamente, via web, dá acesso não apenas à informação, mas ajuda no desenvolvimento de habilidades de pesquisa, avaliação e interpretação
4 a 5 anos – Apropriação dos softwares
Inteligência coletiva
Conhecimento existente nas sociedades ou em grandes grupos. Como hoje a produção de conhecimento não é mais um monopólio, várias redes são criadas cotidianamente
Laboratórios móveis
A tecnologia facilitou que pesados equipamentos, antes disponíveis apenas em bons laboratórios de ciências pudessem ser inseridos em simples celulares
Ambiente pessoal de aprendizagem
Formado por uma coleção pessoal de ferramentas montadas para apoiar seu próprio aprendizado; lista é organizada de forma independente e é focada em objetivos individuais
Aplicações semânticas
Aplicativos que organizam informações de várias fontes e fazem associações entre elas, apresentando o resultado de forma atraente ao usuário
Fonte: Horizon Report (Brasil 2012)
http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2012-12-08/as-12-tendencias-tecnologicas-da-educacao-brasileira-ate-2017.html 

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Primavera

Nesta época do ano a Natureza se torna mais bela que nunca, vestindo-se de flores das mais variadas cores, dos mais ricos matizes, de intensos e diversos perfumes. Este clima propicia o começo do período reprodutivo de muitas árvores e plantas. É o nascimento da primavera, que reinstala a alegria e o colorido, depois de uma era cinzenta e fria. Ela prepara a vinda do Verão, com seu intenso calor.
Foto: Mayovskyy Andrew / Shutterstock.com
Foto: Mayovskyy Andrew / Shutterstock.com
Os animais e os vegetais reanimam-se ao longo do espaço onde a Primavera retorna. Seu início no Hemisfério Norte, onde é conhecida como Primavera Boreal, coincide com o equinócio do mês de março, o qual ocorre no dia 20, e encerra-se em 21 de junho, com o início do Solstício. Já no Hemisfério Sul tem lugar a Primavera Austral, com seu ponto inicial no dia 23 de setembro, durante o equinócio, e sua conclusão no solstício de Dezembro, no dia 21.
No dia em que se concretiza o equinócio, dia e noite são portadoras do mesmo tempo de duração. À medida que o tempo passa, os dias tornam-se mais longos e as noites mais curtas.
Em nosso país a Primavera provoca alterações nos regimes pluviométricos e nas temperaturas. Períodos de chuvas começam a chegar em grande parte do Brasil, mais ou menos no fim das tardes, devido à intensificação do calor e da umidade, típicos desta estação. No Sul as mudanças são quase imperceptíveis, enquanto no Nordeste persiste a seca. A região mais atingida pelo forte calor é a Centro-Sul, mas as massas de ar frio não são incomuns neste local.
As temperaturas aumentam gradualmente, da mesma forma que as águas do mar também se aquecem cada vez mais. Mas o clima é geralmente mais ameno que o do Verão. A poesia desta estação é inegável, pois ela é inspirada pela presença de flores como a Margarida, o Pingo de Leite, a Rosa, o Girassol, bem como por jasmins, hortênsias, hibiscos, lágrimas-de-Cristo, crisântemos, narcisos, violetas, damas-da-noite, entre outras.
Neste período as pessoas vão despertando, saindo de seus casulos, dão mais atenção aos seus jardins, cultivam flores, plantas e árvores. A alegria toma conta não só dos corações humanos, mas também dos animais, que também saem de seus refúgios e passam a circular com mais intensidade no alto e na terra.
As cores sofrem profundas transformações, contagiando todos os recantos atingidos pela chegada da Primavera, que inspira poetas e artistas de todas as esferas. Os raios de sol começam a se aproximar cada vez mais destes espaços coloridos, intensificando os diversos matizes com sua luz dourada. A Natureza finalmente se espreguiça e renasce. Neste período percebe-se mais claramente o caráter cíclico das estações do ano, pois se no Outono há o declínio, no Inverno a velhice e a esterilidade, na Primavera há o renascimento, a infância e a juventude, preparando a Natureza para o auge de seu esplendor, no Verão.
Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Primavera
http://www.releituras.com/cmeireles_primavera.asp
Houaiss, Antônio – Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa – Editora Objetiva – Rio de Janeiro – 2001.
 
http://www.infoescola.com/clima/primavera/
 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Professores destacam trabalho da rede municipal na avaliação do Ideb.

Publicada em: 12/09/2014 -



DESEMPENHO - Para profissionais da rede de ensino, avaliação positiva é fruto da parceria entre equipe pedagógica e estudantes


Por Secretaria de Comunicação Social
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br

Os resultados apresentados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que apontam crescimento contínuo de escolas municipais de Itanhaém, foram destacados pelos professores da rede como fruto do trabalho em equipe desenvolvido nas unidades.
Para os educadores, a união de esforços foi determinante para a obtenção do índice positivo
Para os educadores, a união de esforços foi determinante para a obtenção do índice positivo
Siga a Prefeitura de Itanhaém no Twitter e no Facebook
A Escola Municipal Professora Diva do Carmo Alves de Lima obteve 6,4 na avaliação dos 5º anos, superando a meta para 2021 (6,3). A nota ultrapassou a projeção calculada para os próximos sete anos.
O comprometimento demonstrado por professores e estudantes foi o fator que influenciou no bom desempenho escolar dos 5º e 9º anos, divulgado no último dia 5, pelo Ministério da Educação (MEC). O trabalho desenvolvido na rede municipal ganha visibilidade pelas ações envolvendo projetos de incentivo à leitura, jogos matemáticos, entre outras atividades.
“Isso só foi possível graças à parceria de um grupo unido, que acredita no desempenho dos alunos. Nós fizemos um trabalho antes da aplicação da Prova Brasil com simulados para que eles se preparassem melhor”. A afirmação é da professora do 5º ano, Ivany dos Santos Cabral Pereira, da Escola Municipal Elga Reis, que conquistou meta prevista para 2019, com índice de 6,4.
A Escola Municipal Olga Lopes de Mendonça, localizada na região do Gaivota, atingiu 6,2. O resultado ultrapassou a projeção para 2017 (6,0). “Nós ficamos felizes porque a escola deu um salto grande. É um incentivo para as crianças que farão a prova no ano que vem”, explica a professora Gracieli Deo Lara.
Já nos 9º anos, o destaque foi para a Escola Municipal Bernardino de Souza Pereira com a pontuação de 5,0, alcançando a meta estipulada. O desempenho revelado nas notas animou a professora de Língua Portuguesa, Helen Cristina dos Santos Andrade, que atribui a conquista à equipe da escola. “Durante o recesso escolar até a chegada da Prova Brasil fizemos diagnósticos, simulados, revisões de atividades e apostila de férias”, explica Helen.
Além da Escola Municipal Bernardino de Souza, alcançaram o índice as escolas municipais Eugênia Pitta Rangel Veloso (4,2) e Noêmia Salles Padovan (4,7).
A secretária de Educação, Cultura e Esportes, Luci Cristina Charif, ressaltou o empenho dos professores, gestores escolares e todos os funcionários para que o Município alcançasse o índice alto. “Esse resultado foi fruto de um esforço coletivo. Todos possuem uma parcela de contribuição nesse índice alcançado”. 

http://www.itanhaem.sp.gov.br/noticias/2014-09-12-Professores_destacam_trabalho_da_rede_municipal_na_avaliacao_do_Ideb.php

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Não seja cúmplice. Colabore contra o abuso sexual infantil

CAMPANHA – Adultos próximos a crianças devem estar atentos aos sinais de abusos sexuais.
  Por Secretaria de Comunicação Social
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br





 
Ligue para 100 ou 181 para fazer a denúncia ou vá até o Conselho tutelar ou na Delegacia de Polícia Civil. O serviço funciona 24 horas por dia  
Pesadelos e distúrbios do sono, isolamento, mudança de personalidade, retomada de comportamentos de quando tinha pouca idade (como fazer xixi na cama), medo inexplicável de pessoas ou lugares em particular, medo da intimidade (evita proximidade, abraço, afago com os outros), brincadeiras sexualizadas, podem ser sinais de que a criança esteja sofrendo abusos sexuais.
Siga a Prefeitura de Itanhaém no Twitter e no Facebook
Nos casos em que os familiares ou pessoas próximas são os agressores, a criança ou o adolescente pode ficar com medo de contar por estar sendo coagido ou ameaçado. É importante que os pais estejam abertos a ouvir as queixas dos filhos e levem em consideração que a criança precise se sentir segura e acolhida para revelar o que está acontecendo. Além disso, vizinhos, professores ou outras pessoas que estão sempre próximas à criança também devem estar atentas aos sinais, e denunciar quando notar que há algo errado acontecendo.
Abuso sexual não é somente o ato em si, mas também toques nas regiões íntimas, forçar a criança a tocar um adulto de forma a satisfazer desejo sexual, forçar a crianças a ter relação sexual com outras crianças ou adultos e usar o menor em apresentação sexual como fotografia, brincadeira, filmagem ou dança, sendo material obsceno ou não. Tudo isso é crime.
Por vergonha ou medo do que podem pensar, muitos pais acabam não denunciando quando percebem que o filho está sendo abusado. Eles podem até solucionar o problema e ir para longe do agressor, mas é importante que aconteça a denúncia para a justiça tomar as decisões cabíveis.
Ao identificar uma criança ou adolescente vítima de abuso, é necessário que a pessoa deixe claro que está disposta a defendê-lo e posteriormente deve fazer a denúncia pelos telefones 100, 181, ou pessoalmente no Conselho Tutelar ou na Delegacia de Polícia Civil.
A Prefeitura de Itanhaém por meio da Secretaria de Trânsito e Segurança Municipal está divulgando desde o ano passado, uma série de anúncios institucionais voltados para a população. Serão divulgados temas como a homofobia, violência contra o idoso, entre outros.

http://www.itanhaem.sp.gov.br/noticias/2014/setembro/Nao_seja_cumplice_Colabore_contra_abuso_sexual_infantil.html

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Praia do Sonho sedia provas de atletismo nos Jogos Escolares

ESPORTES – Provas de corrida e salto em distância foram disputadas entre alunos de escolas municipais e particulares
Praia do Sonho sedia provas de atletismo nos Jogos Escolares
  Por Secretaria de Comunicação Social
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br





 
Crianças de 6 a 11 anos participaram do atletismo na praia  
As modalidades de atletismo foram disputadas na manhã desta quarta-feira (27) na Praia do Sonho. Com corridas de 50m e saltos em distância, crianças de várias escolas participaram da competição. Destaque para as escolas municipais Maria Cristina Macedo Gomes e Maria Patrocina Condota, com duas medalhas de ouro cada.
Confira as fotos
Siga a Prefeitura de Itanhaém no Twitter e no Facebook
Na corrida de 50 metros, doze alunos disputaram a prova. Pela categoria A masculina, entre os menores de 9 anos, o vencedor foi Guilherme Feliciano Tiago, de 7 anos, da E.M. Maria Cristina Macedo Gomes. Ainda no masculino, na categoria B, ouro para Murilo de Jesus Soares, de 9 anos, da E.M. Eugênia Pitta Rangel Veloso.
No feminino, pela categoria A, primeiro lugar para Ana Beatriz Dutra dos Santos, de 7 anos, da E.M. Pedrina Pompeu Bastos. Na B, a aluna Larissa de Fátima, de 9 anos, da E.M. Lídia Martha, conquistou a medalha de ouro.
Na outra prova, de salto em distância, a criança devia tomar impulso, correr e saltar, caindo o mais longe possível. Igualmente dividida entre as categorias A e B, a modalidade teve o maior número de competidores.
Entre os meninos, na categoria A, ouro novamente para o destaque do dia, Guilherme Feliciano Tiago. Após as duas conquistas em duas provas disputadas, o menino diz gostar de correr e de jogar futebol. “O que eu mais gosto é de corrida, mas quero ser jogador de futebol”, conta.
Ainda no masculino, na categoria B, primeiro lugar para Alex Fernando, da E.M. Maria Patrocina Condota. No feminino, Nicole Sardinha, da E.M. Diva do Carmo Alves de Lima, subiu no lugar mais alto do pódio pela categoria A. A última vencedora do dia foi Tamires Ribeiro, também da E.M. Maria Patrocina Condota, pela categoria B feminina.
Antes do início das provas, o diretor de esportes de Itanhaém, Fábio Nascimento, parabenizou e agradeceu a todos que participaram da modalidade e dos Jogos Escolares.
As provas de atletismo na Praia do Sonho seguem na manhã desta quinta-feira (28). Os Jogos Escolares terminam na próxima sexta-feira (29), com a natação e finais do futsal.
http://www.itanhaem.sp.gov.br/noticias/2014/agosto/Praia_do_Sonho_sedia_provas_de_atletismo_nos_Jogos_Escolares.html 
 

Educação abre vagas para curso de inglês a professores da rede municipal

Por Secretaria de Comunicação Social
comunicacao@itanhaem.sp.gov.br





 
As aulas iniciam ainda este semestre e os inscritos serão informados sobre o início das atividades  
Professores da Rede Municipal de Ensino que queiram aprender ou praticar a língua inglesa têm até dia 29 para se inscreverem no curso de inglês. As matrículas devem ser realizadas das 8h30 às 13 e das 14 às 17 horas, na Sala de Leitura Harry Forssell, do Centro Municipal Tecnológico de Educação, Cultura e Esportes (CMTECE), na Avenida Condessa de Vimieiros, 1131, no Centro.
Siga a Prefeitura de Itanhaém no Twitter e no Facebook
Falar outro idioma, mesmo em nível básico, é importante porque permite ao estudante conhecer novas culturas, utilizando diferentes formas de expressão para o aprimoramento em línguas estrangeiras. E a Prefeitura de Itanhaém quer proporcionar a mesma experiência aos professores da Rede, com aulas gratuitas e dinâmicas promovidas aos finais de semana.
Para a inscrição é necessário que o interessado esteja munido das cópias do comprovante de residência e RG. As aulas deverão ocorrer ao longo deste semestre e os inscritos serão informados sobre o início das atividades.
O curso apresentará ferramentas para a compreensão da língua inglesa com a utilização de recursos multimídia, tais como vídeos e CDs, além de livro didático. É importante ressaltar que as vagas são limitadas.

http://www.itanhaem.sp.gov.br/noticias/2014/agosto/Educacao_abre_vagas_para_curso_de_ingles_a_professores_da_rede_municipal.html